Brasil mantém postura ambígua em relação à invasão russa na Ucrânia

Publicado por: Editor Feed News
03/04/2024 19:00:24
Exibições: 161
Divulgação/Redes Sociais/Captura de Tela
Divulgação/Redes Sociais/Captura de Tela
Recusa de Lula em se reunir com Zelenskyi reflete impasse na posição brasileira

 

O Embaixador da Ucrânia no Brasil, Andrii Melnyk, em entrevista à mídia, destacou um notável reforço das relações econômicas entre Brasil e Rússia desde 24 de fevereiro de 2022.

 

Melnyk ressaltou que, apesar de discursos sobre neutralidade e equidistância, o Brasil não apenas manteve, mas fortaleceu seus laços econômicos e comerciais com a Rússia durante o conflito. Ele destacou que, além dos tradicionais fertilizantes, o Brasil aumentou significativamente suas importações de combustíveis russos, como diesel e óleo combustível.

 

O embaixador ucraniano apontou que, durante o período de guerra, o Brasil tornou-se o maior importador de diesel russo, com uma participação de mercado que cresceu de 1% para cerca de 20% em apenas dois anos.

 

Além disso, Melnyk destacou a dependência contínua do Brasil em relação aos fertilizantes minerais russos, que representam cerca de 22-23% do consumo total do mercado interno brasileiro. Ele questionou por que o Brasil não investe na construção de fábricas de fertilizantes locais para reduzir essa dependência, observando a recente inauguração de uma grande fábrica de fertilizantes minerais no Brasil pela Eurochem, empresa suíça sob sanções, com um investimento de cerca de um bilhão de dólares.

 

Sobre a posição do Brasil em relação à invasão da Ucrânia pela Rússia, Melnyk destacou que, apesar das tentativas de convencimento por parte do presidente francês Macron, o Brasil se manteve relutante em tomar uma posição clara. Lula da Silva recusou fornecer armas à Ucrânia, alegando que a estratégia dos EUA e da UE pode minar as negociações para encerrar o conflito.

 

Por fim, o embaixador mencionou que, em dezembro de 2023, o presidente ucraniano Zelenskyi solicitou um encontro com Lula da Silva durante uma visita ao Brasil, mas foi recusado pelo presidente brasileiro.

Compartilhar