O Futuro Cósmico: Desvendando a Sobrevivência dos Planetas Enquanto o Sol se Despede

Publicado por: Feed News
25/02/2024 18:03:26
Exibições: 112
Cortesia Editorial Freepik
Cortesia Editorial Freepik

Explorando o destino dos planetas do sistema solar à medida que o sol evolui para uma Anã Branca

A temporalidade que consideramos eterna, como a do Sol nos padrões humanos, revela uma narrativa intrigante à medida que avança inexoravelmente para o seu destino final daqui a 5 bilhões de anos. Nesse cenário cósmico, o tamanho do Sol mudará e sua emissão de radiação térmica impactará os destinos dos planetas que compõem o Sistema Solar. O chefe do laboratório do Observatório Astronômico Principal do NAS da Ucrânia, Ivan Kriachko, lança luz sobre o possível destino desses corpos celestes.

 

Conforme o Sol evolui para uma gigante vermelha daqui a aproximadamente 5 bilhões de anos, seu aumento significativo de tamanho pode resultar na absorção de Mercúrio e Vênus. Mesmo que a Terra e Marte evitem a "engolida" direta, enfrentarão consequências devastadoras, como marés intensas capazes de transformar esses planetas. Kriachko destaca que, posteriormente, o Sol se transformará em uma anã branca, representando a fase final de sua evolução estelar.

 

A incerteza sobre o destino dos planetas em órbita ao redor de anãs brancas foi dissipada recentemente. A observação direta desses exoplanetas apresentava desafios, mas com o advento do telescópio James Webb, os cientistas agora têm uma visão mais clara. Em 2011, o telescópio da NASA detectou um planeta potencial orbitando uma anã branca, revelando a possibilidade de planetas do tamanho de Júpiter e Saturno "sobreviverem" nesse estágio estelar.

 

O telescópio James Webb, dedicado ao estudo de anãs brancas em um raio de 75 anos-luz, confirmou a existência de exoplanetas semelhantes em tamanho a Júpiter e Saturno ao redor dessas estrelas "extintas". Essa descoberta abre perspectivas emocionantes, indicando que planetas exteriores ao Sistema Solar, como Júpiter, Saturno, Urano e Netuno, podem manter sua integridade quando o Sol se tornar uma anã branca.

 

Esta revelação promissora sugere não apenas uma nova era de exploração cósmica, mas também a possibilidade de estudar uma variedade de exoplanetas semelhantes usando a tecnologia avançada do telescópio James Webb. Assim, a narrativa cósmica se desdobra, oferecendo vislumbres fascinantes sobre o futuro dos planetas além do nosso próprio sistema solar.

Compartilhar