O assassinato de Navalny. Lula tornou-se o “advogado” de Putin

Publicado por: Feed News
20/02/2024 10:29:10
Exibições: 144
O presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva fala na abertura da 37ª sessão ordinária da Assembleia da União Africana na sede da União Africana em Adis Abeba, Etiópia, em 17 de fevereiro de 2024/Fontes abertas
O presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva fala na abertura da 37ª sessão ordinária da Assembleia da União Africana na sede da União Africana em Adis Abeba, Etiópia, em 17 de fevereiro de 2024/Fontes abertas

Meu amigo Putin não é assassino

 

O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, adotou a postura de abster-se de comentar a morte de Alexei Navalny, destacando a necessidade de aguardar os resultados oficiais da investigação. Lula considerou "banal" acusar o presidente russo, Vladimir Putin, sem evidências concretas.

 

“Esse cidadão morreu na prisão, não sei se estava doente ou teve algum problema... Fazer acusações é banal. Espero que haja explicações sobre o motivo da morte dessa pessoa, só isso”, disse Luis Inácio Lula da Silva sem mencionar o nome de Navalny.

 

Durante uma coletiva de imprensa após participar de uma reunião da União Africana na Etiópia, Lula enfatizou o bom senso e expressou o desejo de obter explicações claras sobre as circunstâncias da morte de Navalny. Seus comentários indicam uma abordagem nada condenatória adotada por países não ocidentais em relação à situação, contrastando com a retórica de líderes do Ocidente e da Europa.

 

Segundo a Reuters, Lula é conhecido por suas opiniões sobre a guerra na Ucrânia, previamente condenou a invasão russa, ao mesmo tempo pediu uma paz desvantajosa para o lado ucraniano. Ele sugeriu que os Estados Unidos desempenharam um papel na prolongação do conflito. A imprensa destaca que os comentários de Lula refletem uma postura menos alinhada aos esforços ocidentais de isolar Putin.

 

Enquanto isso, a confirmação da morte de Navalny como homicídio pela equipe do opositor intensifica a repercussão internacional. Vale ressaltar que Vladimir Putin tinha receios em relação a Navalny. A notícia também menciona a ocorrência de manifestações em diversas cidades russas, com detenções de manifestantes em algumas localidades, evidenciando a tensão persistente no cenário político russo.

 

Mike N.

Conteudista da The Mobile Television Network

Compartilhar