Meta eliminou uma rede de contas chinesas que espalhavam fakenews sobre a Ucrânia

Publicado por: Feed News
01/12/2023 21:06:27
Exibições: 125
Segundo Meta, a rede chinesa tinha mais de 4.700 contas foto de fontes abertas
Segundo Meta, a rede chinesa tinha mais de 4.700 contas foto de fontes abertas

Os usuários fingiam ser americanos e espalharam mentiras sobre a guerra dos EUA, da China e da Rússia contra a Ucrânia.

 

Meta derrubou uma rede de contas falsas com sede na China. Os bots publicaram conteúdo polêmico sobre a ajuda à Ucrânia. A BBC escreve sobre isso .

Os usuários supostamente se passaram por americanos e espalharam mentiras sobre a guerra dos EUA, da China e da Rússia contra a Ucrânia.

 

A partir de contas falsas, os bots discutiram as questões do aborto, da guerra cultural e da ajuda dos EUA à Ucrânia.

A Meta não vinculou os perfis a autoridades de Pequim, mas viu um aumento no número dessas redes na China antes das eleições de 2024 nos EUA.

 

Observa-se que a China é o terceiro maior país de origem de redes de bots, depois da Rússia e do Irã.

Segundo a Meta, a rede chinesa tinha mais de 4.700 contas. Eles usaram fotos e nomes copiados de outros usuários ao redor do mundo. Os bots também gostaram das postagens uns dos outros.

 

Nem sempre espalharam notícias falsas, mas as suas publicações faziam parecer que alguns pontos de vista políticos eram mais populares do que realmente eram.

A Meta também identificou duas redes menores, uma baseada na China e focada na Índia e no Tibete, e outra na Rússia. Publicaram mensagens principalmente em inglês sobre a invasão da Ucrânia e promoveram canais do Telegram. 

 

Recorde-se que em julho foi noticiado que utilizadores do Twitter com uma marca de verificação azul, que marca contas verificadas, espalharam entre os seus leitores informações falsas sobre a guerra na Ucrânia , na qual o país agressor da Federação Russa está interessado.

 

Com informações GLAVCOM

Compartilhar