Comércio de alimentos no Recife na mira do Procon

Publicado por: admin
10/09/2022 07:33:58
Exibições: 202
Divulgação
Divulgação

Os produtos com validade vencida e sem identificação de validade foram descartados na presença dos fiscais.

 

Fiscais do Procon/PE autuaram, na manhã desta sexta-feira, 09, cinco estabelecimentos nos bairros da Boa Viagem, Casa Amarela e Madalena por comercializarem carnes e outros produtos  com data de validade vencida ou sem identificação da validade.



Em estabelecimentos no bairro de Boa viagem foram encontrados dez quilos de linguiças de frango sem identificação da data de validade, e mais de três quilos de salsicha com a mesma irregularidade. Além desses produtos, os fiscais acharam 13 embalagens de geléia artesanal com datas de fabricação 01 e 02 de junho, válida por três meses.



Já em Casa Amarela, os fiscais descartaram embalagens com 12 linguiças de frango cozidas e defumadas que estavam com data de validade 04.09.22; 08 embalagens de doces marshmallows vencidas em 29 de julho deste ano, e mais quatro com data de validade 06 de abril. Ainda foram encontradas carnes do tipo acém, peito, alcatra e patinho sem identificação do fornecedor e da validade.



A equipe também fiscalizou o bairro da Madalena onde autuou estabelecimentos que estavam vendendo carne bovina sem identificação de preço e de validade; bifes com validade vencida no mês de agosto; além de nove embalagens de farofas também com validade no mês passado.  



A fiscalização do Procon Pernambuco visa garantir ao consumidor o direito à transparência das informações dos produtos na hora da compra e, consequentemente, sua programação de gastos e prioridades. O consumidor que identificar a ausência de preços em produtos pode denunciar”, alertou o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Cloves Benevides



Os produtos com validade vencida e sem identificação de validade foram descartados na presença dos fiscais. Os donos dos estabelecimentos vão responder a processo administrativo e poderão ser penalizados com multa, que variam de R$ 1.050,00 a 10 milhões de reais. Os consumidores podem denunciar através do 0800.282.1512.

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Comentários