Kaliningrado é a nova frente do conflito entre Rússia e UE. Moscovo ameaça a Lituânia

Publicado por: admin
23/06/2022 12:32:16
Exibições: 109
Davis Kiavins - Flickr
Davis Kiavins - Flickr

Moscovo ameaçou a Lituânia para as consequências do encerramento das fronteiras ferroviárias com o enclave de Kaliningrado.

 

A Rússia acusou a Lituânia de ser “hostil” por encerrar as fronteiras ferroviárias com o enclave de Kaliningrado, para o transporte de alguns produtos, mas o Governo de Vilnius afirma estar apenas a cumprir as sanções económicas impostas pela UE.

 

O confronto entre a União Europeia e a Rússia, com a tensão a aumentar devido à invasão russa da Ucrânia, ganhou uma nova frente — Kaliningrado.

 

Desde o início desta semana que o governo lituano proibiu a passagem de comboios com algumas mercadorias de Kaliningrado — enclave russo na região báltica, cuja única ligação terrestre à Federação Russa é através da Lituânia, estado-membro da UE e da NATO, bem como um dos principais apoiantes da Ucrânia.

 

Alguns dos produtos cujo transporte está proibido são o carvão, o aço, vários tipos de materiais de construção e ainda tecnologia de ponta, segundo noticia.

 

Segundo Anton Alikhanov, governador de Kaliningrado, as restrições aplicam-se a cerca de metade dos bens que chegam ao enclave de outras partes da Rússia.

 

O Kremlin não reagiu bem à proibição da Lituânia e convocou de imediato o embaixador da União Europeia para prestar esclarecimentos.

 

O Ministério dos Negócio Estrangeiro russo afirmou que o embaixador Markus Ederer  tinha sido informado da “inadmissibilidade destas ações” e alertou que “irá haver retaliações” se a proibição não for levantada.

 

Instalou-se um clima de pânico em Kaliningrado, que tem quase um milhão de habitantes, devido ao receio de escassez de bens.

 

Já circulam vídeos nas redes sociais de pessoas em supermercados para compras de produtos e a encherem os carrinhos de mercadorias, de acordo com a Moscow Times.

 

Nikolai Patrushev, secretário do Conselho de Segurança da Rússia e importante figura do círculo mais próximo de Vladimir Putin, foi esta terça feira a Kaliningrado, para fazer parte de uma reunião convocada de emergência.

 

A Rússia irá certamente responder a estas ações hostis“, ameaçou Patrushev, citado pela agência RIA, acrescentando que a resposta russa terá “um impacto negativo grave junto da população da Lituânia”.

 

Moscovo acusa as autoridades lituanas de estarem  violando os acordos estabelecidos em 2002, cujo objetivo era resolver várias questões fronteiriças, perante a entrada da Lituânia na UE e no espaço Schengen.

 

Kaliningrado, a partir de 2004, tornou-se uma região russa totalmente rodeada por Estados-membros da UE (Lituânia e Polónia), tendo sido necessário criar formas de permitir a circulação terrestre de bens e pessoas entre o enclave e o resto do território russo, respeitando em simultâneo as regras de circulação de Schengen.

 

d.r. travelingyourdream.com

Mapa da Polónia com o enclave russo de Kaliningrado

 

A Lituânia garante que, das proibições, apenas fazem parte mercadorias que já eram alvo de sanções europeias e, por isso, não se trata de um bloqueio total.

 

É irónico ouvir a retórica sobre alegadas violações de tratados internacionais de um país que violou provavelmente todos os tratados internacionais em vigor”, afirmou a primeira-ministra lituana, Ingrida Simonyte.

 

A Rússia terá de transportar os bens via marítima ou aérea, para os fazer chegar a Kaliningrado, mas isso vai prejudicar o fornecimento do enclave.

 

“Pode haver atrasos e falta de produtos, pelo menos no curto prazo até que as novas cadeias logísticas estejam totalmente operacionais”, avisou Dionis Cenusa, especialista do Centro de Estudos Europeus de Vilnius, ao Moscow Times.

 

Durante séculos, Königsberg — como era conhecido Kaliningrado —, pertenceu à Prússia e, posteriormente ao Império Alemão, sendo um importante porto comercial.

 

Em 1945, na sequência da derrota da Alemanha nazi, a União Soviética anexou o território e transformou-o numa enorme zona militar, expulsando a população alemã e repovoando-o com russos.

 

Com o colapso da União Soviética, Kaliningrado – nome dado por Estaline em homenagem a Mikhail Kalinin, antigo presidente do Soviete Supremo – deixou de ter ligação terrestre ao território russo.

 

Dada a sua posição geográfica, o enclave ganhou uma importância estratégica como uma espécie de posto avançado russo na Europa Ocidental, descrito como o “porta-aviões inafundável” da Marinha russa.

 

Para além de ser a sede da frota russa no mar Báltico, há suspeitas de que a Rússia tenha instalado mísseis com capacidade nuclear na região.

 

Por   Alice Carqueja, Planeta ZAP //

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Comentários