Um quinto da população mundial em isolamento. Maduro acusado de esconder números reais

Publicado por: admin
24/03/2020 13:00:36
Exibições: 96
Mariscal / EPA
Mariscal / EPA

Uma em cada cinco pessoas no mundo está em isolamento como forma de travar a propagação do novo coronavírus, a Covid-19. Na Venezuela, Maduro é acusado de esconder números reais da pandemia.

 

 

Assim, de acordo com o jornal britânico The Guardian, cerca de 20% da população mundial (1,7 mil milhões de pessoas) estão – ou deveriam estar – em casa.

 

O Reino Unido foi a última potência a impor um lockdown e, segundo Boris Johnson, só existem cinco razões sair de casa: comprar comida, fazer exercício uma vez por dia, ir ao médico ou à farmácia, ir trabalhar mas apenas se não for mesmo possível trabalhar a partir de casa e ajudar pessoas vulneráveis.

 

O último balanço global aponta para 341 mil infetados, quase 15 mil mortos e perto de 100 mil recuperados.

 

China registou 78 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, sendo quatro de contágio local e os restantes importados. O país registou mais sete mortes, elevando para 3.277 o número de vítimas mortais da doença no país.

 

A maioria dos casos relatados pelas autoridades chinesas são de pessoas chegadas do exterior, enquanto a transmissão comunitária quase desapareceu.

 

Aliás, o Supremo Tribunal Popular chinês anunciou que os viajantes que entrarem no país e não cumprirem os procedimentos de quarentena vão ser julgados criminalmente.

 

Wuhan, onde surgiu o surto de Covid-19, começa agora a voltar à normalidade. Os cidadãos já podem abandonar os complexos, condomínios e casas onde vivem, após praticamente dois meses sem poderem sair.

 

Maduro acusado de esconder números reais

A Venezuela registou 84 casos de infeção nas últimas 24 horas, o que levou as autoridades a anunciar mais restrições à circulação de pessoas. A vice-presidente venezuelana insistiu que a população deve manter o distanciamento social, o uso de máscaras e a quarentena preventiva.

 

Os infetados estão a ser tratados com um medicamento usado para combater a malária. “Está a dar bons resultados a nível internacional” e está a ser distribuído gratuitamente no país.

 

Porém, de acordo com o Observador, a oposição ao Presidente Nicolás Maduro acusa o regime chavista de estar a esconder os números reais da epidemia de Covid-19.

 

No dia 19 de março, o presidente da Assembleia Nacional e auto-proclamado Presidente, Juan Guaidó, falava em cerca de 200 casos.

 

Esta segunda-feira, Miguel Pizarro publicou um conjunto de informações titulado “Boletim da Verdade”, onde se dá conta de números da capacidade do sistema de saúde venezuelano. Segundo o Boletim, 62% dos hospitais não têm água corrente ou têm água intermitentemente, há 52% de medicamentos em falta e faltam camas.

 

O documento, divulgado pelo El Nacional, acusa o governo de Maduro de divulgar “falsas verdades” e de “maquilhar os números”.

 

Alemanha com mais de 100 mortos

A Alemanha regista 27.436 casos de Covid-19, um aumento de 4.764 em relação ao dia anterior, e 114 vítimas mortais, segundo a página oficial do Instituto Robert Koch. A entidade responsável pela prevenção e controlo de doenças admite ainda algum atraso na divulgação dos dados, já que estes são transmitidos individualmente pelas autoridades competentes de cada estado federado.

 

A Alemanha continua a registar uma baixa letalidade em relação a países como Itália, Espanha ou França. As regiões da Renânia do Norte-Vestefália, Baviera e Bade-Vurtemberga continuam a ser as mais afetadas, com 6,318, 5,754 e 5,348 casos, respetivamente.

 

O resultado do primeiro teste realizado a Angela Merkel deu negativo, revelou esta segunda-feira um porta-voz do governo. A chanceler entrou em quarentena no domingo, depois de ter estado em contacto com um médico infetado com o novo coronavírus.

 

A trabalhar desde casa, a líder do executivo de Berlim aprovou um pacote de medidas, no valor de 748 mil milhões de euros, com o objetivo de amortecer o impacto económico provocado pela pandemia.

 

Tailândia decreta estado de emergência

O primeiro-ministro da Tailândia disse esta terça-feira que o governo concordou em declarar o estado de emergência. Prayuth Chan-ocha anunciou que, após a reunião semanal, o governo decidiu declarar o estado de emergência durante um mês a partir da próxima quinta-feira, conferindo ao executivo poderes especiais.

 

O executivo pode implementar o recolher obrigatório, exercer censura junto dos órgãos de comunicação social, dispersar reuniões e projetar no terreno forças militares para fazer face à Covid-19.

 

Prayuth pediu à população para se manter calma e avisou sobre o “uso incorreto” das redes sociais, sublinhando que as medidas preveem sanções contra os que não respeitarem as ordens.

 

Também o Conselho Superior de Defesa e Segurança (CSDS) timorense deu “opinião favorável” à declaração do estado de emergência em Timor-Leste.

 

Em Cuba, todos os turistas que estejam na ilha vão ser colocados em quarentena esta terça-feira, dia em que começa o encerramento parcial as fronteiras por um mês.

 

O país tem registados 40 casos de infeção por coronavirus. O chefe do Governo detalhou que estavam 32.500 turistas em Cuba.

 

Fonte: Planeta ZAP // Lusa

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Vídeos relacionados

Comentários