Novo laser ataca e mata células cancerígenas da corrente sanguínea em tempo real | TVCARUARU.com Televisão via Internet

Uma equipe de cientistas da Universidade de Arkansas testou com sucesso um laser que encontra e mata células cancerígenas – tudo do lado de fora da pele.   A ideia é matar as células cancerígenas antes que sejam capazes de metastatizar ou disseminar at...

saude, hipertensão, cardiologia, mitos, verdades, doenças, criança, diabetes, infantil, pediatra, cuidados, desidratação, insolação, plano, assistência, avc, alergias

Novo laser ataca e mata células cancerígenas da corrente sanguínea em tempo real

Publicado por: Redação
17/06/2019 20:49:35
Alice Pien, MD / Wikimedia
Alice Pien, MD / Wikimedia

Uma equipe de cientistas da Universidade de Arkansas testou com sucesso um laser que encontra e mata células cancerígenas – tudo do lado de fora da pele.

 

A ideia é matar as células cancerígenas antes que sejam capazes de metastatizar ou disseminar através do corpo – a principal causa de mortes relacionadas com o cancro. O cancro espalha-se quando as células dos tumores primários se rompem e viajam através da corrente sanguínea e do sistema linfático, instalando-se em novas áreas do corpo e formando tumores secundários.

 

Ao apontar um laser nas células tumorais, acabam por absorver muito mais energia de calor do que as células normais. O calor faz com que se expandam e colapsem.

 

O processo é completamente não-invasivo. “Esta tecnologia tem o potencial de inibir significativamente a progressão da metástase”, disse Vladimir Zharov, autor do artigo publicado na Science Translational Medicine, ao IEEE Spectrum.

 

“O uso de lasers revolucionou o diagnóstico e o tratamento de doenças. No entanto, o grande tamanho dos lasers impediu o seu uso em muitas aplicações médicas no nível celular”, disse Zharo em comunicado em 2017.

 

Zharov e a sua equipa testaram o seu sistema em pessoas com melanoma ou cancro de pele. Mesmo com o laser em modo de diagnóstico de baixa energia, conseguiram eliminar um número significativo de células em seis pacientes. De acordo com a Futurism, os resultados são promissores. “Num paciente, destruímos 96% das células tumorais“, disse Zharov. E o laser ainda não estava no máximo da sua energia.

 

Não é a primeira vez que um dispositivo deste género é apresentado, mas Zharov afirma que é o primeiro a ser demonstrado em humanos. Dezenas de dispositivos tentaram algo semelhante, incluindo um dispositivo usado no pulso, montado por investigadores da Universidade de Michigan.

 

Mas o novo dispositivo tem outra grande vantagem: consegue monitorizar um litro de sangue numa hora – muito mais rápido do que os dispositivos concorrentes.

ZAP //

Compartilhar

Ganhe Dinheiro Revendendo Roupas

Vídeos relacionados