Reeducandos auxiliam na sinalização de ciclofaixa em Caruaru | TVCARUARU.com Televisão para Dispositivos Móveis

Eles trabalham junto aos técnicos da Autarquia Municipal de Defesa Social, Trânsito e Transportes de Caruaru (Destra) na abertura e fechamento da via.   O desejo de voltar ao mercado de trabalho e de ser útil a população levou reeducandos do regime abe...

seres, prisão, penitenciária, sistema, prisional

Reeducandos auxiliam na sinalização de ciclofaixa em Caruaru

Publicado por: Redação
26/05/2018 10:38:27
Seres/Divulgação
Seres/Divulgação

Eles trabalham junto aos técnicos da Autarquia Municipal de Defesa Social, Trânsito e Transportes de Caruaru (Destra) na abertura e fechamento da via.

 

O desejo de voltar ao mercado de trabalho e de ser útil a população levou reeducandos do regime aberto e livramento condicional atendidos pelo Patronato Penitenciário de Pernambuco às ruas de Caruaru, para auxiliarem na sinalização da ciclofaixa, localizada na Av. Agamenon Magalhães, bairro Maurício de Nassau.

 

A atividade é resultado de um convênio de empregabilidade realizado pelo Governo de Pernambuco, através da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos e órgão de execuções penais, com a Prefeitura de Caruaru. Os dois reeducandos atuam junto a mais três funcionários da Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes do município (Destra), que conta ainda com duas reeducandas na limpeza e serviços gerais. 

 

Na ciclofaixa, que fica na Av. Agamenon Magalhães, bairro Maurício de Nassau, os novos contratados utilizam 80 cones e 56 cavaletes para fechar, todos os domingos e feriados, às 6h00, um percurso de um quilômetro e meio de faixa, destinada ao lazer dos moradores. Às 18h30 retornam para o fechamento da via. Durante a semana, atuam no depósito da Destra, com direito a um dia de folga pelo serviço na ciclofaixa.

Além da Destra, os reeducandos realizam serviços de capinação e limpeza de ruas e praças de Caruaru, perfazendo um total de 45 contratados através do convênio de empregabilidade. Cada reeducando é remunerado com um salário mínimo (R$ 954,00), vale-transporte e alimentação. 

 

Para Josafá Reis, superintendente do Patronato Penitenciário, os reeducandos estão atuando hoje nas mais diversas áreas, a mão de obra está aí disponível, basta que as instituições ou empresas procurem o Patronato para realizar o convênio. "A empregabilidade e junto com ela a qualificação profissional contribuem assertivamente para o retorno da pessoa cumpridora de pena a sociedade", ressalta Josafá. 

 

Atualmente o Patronato Penitenciário mantém convênio com 18 instituições, públicas e privadas, onde empregam 552 reeducandos do regime aberto e livramento condicional.

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Ganhe Dinheiro Revendendo Roupas