Varizes pélvicas: entenda o problema que afeta a saúde sexual feminina | TVCARUARU.com Para Smart TV, PC e Mobiles

Vasos dilatados próximos a útero e ovários podem causar dor crônica e comprometer a qualidade de vida   Para algumas mulheres, a relação sexual não é sinônimo de prazer, mas sim, de dor. Para elas, o sexo pode ser bastante doloroso durante e após o coi...

mulher, saúde, vagina, corrimento, bactérias, higiene, sabonete, inverno, pelvis, útero, varizes, frio, urinar, evacuar, corrimento, odores, ginecologia

Varizes pélvicas: entenda o problema que afeta a saúde sexual feminina

Publicado por: TVCARUARU
08/05/2017 22:02:50

Vasos dilatados próximos a útero e ovários podem causar dor crônica e comprometer a qualidade de vida

 

Para algumas mulheres, a relação sexual não é sinônimo de prazer, mas sim, de dor. Para elas, o sexo pode ser bastante doloroso durante e após o coito e elas têm dificuldades de lidar com o problema. O cirurgião vascular e endovascular dr. Robert Guimarães, da capital paulista, explica que as varizes pélvicas são vasos ou veias dilatados próximo ao útero, ovários e trompas, que atrapalham o retorno venoso, inflamam e causam dores intensas. “As mulheres com este problema costumam se queixar de dores durante e após o ato sexual e também quando está próximo ao período menstrual”, conta o médico.

 

Isto ocorre porque a ação dos hormônios favorecem a inflamação. “É por isso também que mulheres com o problema podem engravidar, mas antes precisam tratar as varizes. Os hormônios da gestação tendem a piorá-las muito”, indica o cirurgião vascular.

 

Dentre os principais sintomas das varizes pélvicas estão: peso na região do baixo ventre, incontinência urinária, dor no abdômen que piora no fim do dia, após relações sexuais e no período menstrual, aumento do fluxo menstrual.

 

O diagnóstico é feito por meio de exames indolores e não-invasivos, como o ultrassom com doppler colorido, a angiotomografia e a angioressonância. “Estes dois últimos são os que melhor detectam o problema”, conta Dr. Robert, que diz que o tratamento ocorre pela embolização dos vasos e veias problemáticos. “O procedimento é feito por meio de microcatéteres e a embolização de molas ou espuma para interromper o fluxo sanguíneo no local inflamado”, explica. Com anestesia local, o procedimento é pouco doloroso e a paciente tem alta no dia seguinte à embolização, podendo voltar à rotina normal em poucos dias.

 

É importante ressaltar que o médico ginecologista pode auxiliar no tratamento e, somado a outros sintomas, o diagnóstico pode indicar este problema crônico.

 

Sobre Dr. Robert Guimarães Cirurgião Vascular e Endovascular

Cirurgião Vascular e Endovascular formado pelo Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, com ampla experiência em procedimentos de alta complexidade e fleboestética. Atualmente atua nos principais hospitais de São Paulo ( Beneficência Portuguesa de São Paulo, Hospital Santa Catarina, Hospital Alemão Osvaldo Cruz, Hospital São Luiz Itaim, Hospital São Luiz Jabaquara, Hospital Paulistano, Hospital Unimed Guarulhos, Hospital Bom Clima Guarulhos ). 


Comentários