Doce veneno: O açúcar como uma droga viciante | TVCARUARU.com Para Smart TV, PC e Mobiles

Se você quer sentir-se bem, precisa lidar com seu vício em açúcar. Você diz que não é viciado? Pense de novo. Estudos têm mostrado que ratos se esforçam tanto para receber um bocado de água açucarada quanto para receber uma injeção de cocaína! Mesmo qu...

medicamentos, açucar, vício, drogas, glicemia, sangue, diabetes, intoxicação, fármacos, pilulas, farmácia, saúde, idoso

Doce veneno: O açúcar como uma droga viciante

Publicado por: TVCARUARU
26/09/2016 19:31:02

Se você quer sentir-se bem, precisa lidar com seu vício em açúcar. Você diz que não é viciado? Pense de novo. Estudos têm mostrado que ratos se esforçam tanto para receber um bocado de água açucarada quanto para receber uma injeção de cocaína! Mesmo que você não coma açúcar puro, seu corpo o fabrica a partir de alimentos que você ingere, e pode ser a maneira que você consegue o seu “barato”. Todos os carboidratos refinados, produtos feitos com farinha branca, tais como pão e macarrão, no momento em que entram em contato com a saliva na sua boca. O açúcar é uma droga num sentido muito real, e somos viciados na sensação “para cima” que temos quando níveis de açúcar no sangue aumentam. Esta substância afeta diretamente nossas moléculas da emoção – a principal delas é a insulina. Drogas externas, químicas internas e as emoções – todas elas usam exatamente os mesmos caminhos e receptores.

 

O pó branco que você compra no supermercado é, na verdade, sacarose e consiste em dois açúcares: Frutose acoplada a glucose. Esses formam um dissacarídeo que tem gosto doce e pode ser decomposto em seu corpo.
Seu cérebro funciona com glucose, a única forma de açúcar que ele pode usar como combustível. Por essa razão, os níveis de glucose no sangue são muito cuidadosamente monitorados pela insulina, bem como numerosos outros neuropeptídeos, para que eles permaneçam dentro de um escopo estreito. Seu pâncreas contém diferentes moléculas da emoção que regulam cuidadosamente o fluxo de glucose para o seu sangue e de lá para o cérebro.


A glucose é tão importante para a maneira como você se sente que, quando seus níveis sobem, você sente tontura. Quando a quantidade diminui, você pode sentir pânico, agitação ou depressão. A demanda por glucose pode dominar seu comportamento, assim como o anseio por heroína, impelindo-o a não só procurar mais e mais alimentos doces, mas também a ter comportamentos associados a aumento dos níveis de açúcar no sangue.

 

Diferente da heroína, porém, o açúcar é uma substância legalizada, abundante e barata, portanto, você pode satisfazer esse impulso com o suprimento disponível a ficar dependente sem mesmo saber. Igual a qualquer droga, quanto mais ingerir dessa substância externa ao corpo, tanto menos será capaz de fabricar sua própria versão, assim como os viciados em heroína reduzem sua capacidade de fabricar endorfinas. Doces, assim como a heroína, entram no sangue (e daí no cérebro), muito rapidamente, fornecendo uma “corrida de açúcar” que dispara a libertação de outros neropeptídeos para compensar. Quanto mais alto o índice glicêmico de um alimento específico, tanto mais rápido o açúcar é capaz de deixar o seu estômago e correr para o seu cérebro. A fibra natural na dieta desacelera esse “barato”, e também o inevitável abatimento que se segue algumas horas depois.


A frutose é fabricada do milho diferido enzimaticamente, um adoçante barato, usado comumente em muitas bebidas e alimentos processados. Embora a frutose se encaixe no receptor de açúcar das células e tenha gosto doce, não pode ser usada pelo seu cérebro. Ela engana seu corpo e o faz pensar que está recebendo uma dose de combustível para o cérebro, quando, de fato, não está, causando uma reação em algumas pessoas sensíveis.

 

Quando eu estava numa dieta muito bem controlada com restrições de açúcar, meu marido acidentalmente trouxe para casa uma bebida matinal sem proteína que continha fructose, quase indetectável no rótulo em letra miúda. Depois de uma longa e pesada caminhada, bebi o que julgava ser uma bebida sem açúcar e fiquei super agitada pelo resto do dia. Por causa do gosto, meu corpomente pensou que estava recebendo uma dose de glucose, e se ajustou de acordo. Mas, de fato, eu ingeri uma forma de açúcar que não era rapidamente conversível em glucose, o combustível do cérebro.

 

A lactose, encontrada no leite, é um açúcar muito saudável porque consiste em glucose essencial, combinada com galactose, que é outro açúcar vital. Desses dois açúcares, os nossos corpos podem fabricar todos os outros de que precisamos. Embora ouçamos muito sobre “intolerância a lactose”, o leite pode ser muito saudável, especialmente quando fervido para destruir os alergenos. Satisfaz bem quando misturado com canela e bebido antes de deitar, já que a lactose fornece os dois açúcares essenciais dos quais você precisa, e o leite quente ajuda a dormir.

 

Parte integrante do livro (páginas 92 a 94):

“Conexão Mente Corpo Espírito – Para o seu Bem-Estar”, de Candace Pert, PhD com Nancy Marriot, pela Barany Editora.

 

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Vídeos relacionados